Levantamento de Aspectos e Impactos Ambientais (LAIA)

O Levantamento de Aspectos e Impactos Ambientais (LAIA) é a verificação sistemática, reprodutível e inter-disciplinar do efeito de uma ação proposta e suas alternativas práticas. Estes são os componentes chaves do planejamento das mais variadas atividades que possam comprometer os atributos físicos, biológicos, culturais e sócio-econômicos do meio ambiente.

O LAIA serve de estudo para abordar como forma de processo de avaliação dos efeitos ecológicos, econômicos e sociais, que podem advir da implantação de atividades antrópicas (projetos, planos e programas), e de monitoramento e controle desses efeitos pelo poder público pela sociedade envolvida e principalmente pela empresa em questão.

Insta acrescer que o LAIA é um instrumento preventivo usado nas políticas de ambiente e gestão ambiental com o objetivo de assegurar que um determinado projeto possível de causar danos ambientais seja analisado de acordo com os prováveis impactos no meio ambiente e que esses mesmos impactos sejam analisados e tomados em consideração no seu processo de aprovação.

Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001

Gestão Ambiental

A ISO 14000 fornece uma estrutura para as organizações gerenciarem os impactos ambientais de suas atividades, produtos ou serviços, indiferente do seu porte ou ramo de atividade que inclui estrutura organizacional, atividades de planejamento, responsabilidades, práticas, procedimentos, processos e recursos para desenvolver, implementar, atingir, analisar criticamente e manter a política ambiental. Ter uma Política Ambiental é estar em conformidade com as normas da ISO 14000, e, portanto, deve minimizar os resíduos industriais que ele gera no processo produtivo, reaproveitando através de desenvolvimento de novos produtos, reciclando ou tratando-os e transformando-os em material inerte. Desta forma, o SGA é uma ferramenta que possibilita as organizações, de qualquer tamanho ou ramo de atividade, a controlarem os impactos ambientais oriundos de suas atividades, produtos e serviços de forma sistêmica, demonstrando seu comprometimento com a proteção ambiental.

ISO 14000 acompanha a tendência da ISO 9000, passando a se tornar importante exigência de mercado, principalmente para a exportação de produtos de potencial poluidor destinados aos países desenvolvidos. Temos que ter em mente que os nossos concorrentes não deixarão de disputar cada palmo de mercado e que as questões ambientais são, para nós, particularmente importantes.Em 1992, as normas britânicas BS7750 – Specification for Environmental Mannajement Systems (Especificação para Sistemas de Gestão Ambiental), foi quem abril o caminho para o desenvolvimento da ISO 14000, buscando ordenar os procedimentos de gestão ambiental já existentes e, ao mesmo tempo, permitir a Certificação dos Sistemas de Gestão Ambiental; essa norma está diretamente relacionada à BS5750, que é o equivalente inglês da Série ISO 9000. Nesta época os temas ambientais globais discutidos como preocupação mudaram o comportamento empresarial e sua base consistia: na Proteção das florestas, da Camada de Ozônio, do Desenvolvimento Sustentável, Controle do Aquecimento Global e Preservação da Biodiversidade. Esses movimentos mostram que sempre houve desperdícios de recursos naturais na extração, produção e consumo, mas a única fórmula para a qualidade ambiental é um trabalho conjunto das empresas, governo e sociedade, associando o desenvolvimento econômico à conservação do meio ambiente.A norma ISO 14000 foi lançada pela ISO – Organização Internacional de Normalização, apenas no final de 1996, colocando a disposição da comunidade mundial as primeiras normas da Série ISO 14000, ISO 14001 e ISO 14004 (Sistemas de Gestão Ambiental) e ISO 14010, ISO 14011 e ISO 14012 (Auditoria Ambiental).

O Sistema de Gestão Ambiental de acordo com a ISO 14001 é uma ferramenta para as organizações demonstrarem que possuem consciência das interações dos seus produtos e atividades com o meio ambiente, obtendo continuamente a melhora do desempenho ambiental.

Uma série de razões tem estimulado as organizações de todo o mundo a adotarem o SGA de acordo com a ISO 14001, entre estes, pode-se citar:

  • Aprimorar o controle de custos objetivando a efetiva redução;
  • Conservar matérias-primas e energia;
  • Assegurar aos clientes o comprometimento com uma gestão ambiental demonstrável;
  • Manter boas relações com o público/comunidade;
  • Satisfazer os critérios dos investidores e melhorar o acesso ao capital;
  • Obter seguro a um custo razoável;
  • Fortalecer a imagem e a participação no mercado;
  • Atender aos critérios de certificação e dos clientes;
  • Facilitar a obtenção de licenças e autorizações;
  • Estimular o desenvolvimento e compartilhar soluções ambientais;
  • Melhorar as relações entre as indústrias e governo;
  • Redução de riscos ambientais (segurança legal e redução de acidentes e passivos ambientais que impliquem responsabilidade civil);
  • Conscientização ambiental dos empregados;
  • Melhoria organizacional;
  • Diferencial competitivo.

Quando se inicia uma avaliação ambiental inicial e necessário dar atenção a quatro áreas fundamentais:

  • Requisitos legais e regulamentares;
  • Identificação dos aspectos e impactos ambientais;
  • Exame de todas as práticas e procedimentos de gestão ambiental existentes;
  • Avaliação das informações provenientes de investigações de incidentes anteriores.

No processo de identificação dos aspectos ambientais associados às atividades das unidades operacionais deve-se dar atenção principal aos seguintes pontos:

  • Emissões atmosféricas;
  • Lançamento em corpos d’água;
  • Gerenciamento de resíduos;
  • Contaminação do solo;
  • Uso de matérias-primas e recursos naturais;
  • Outras questões ambientais relativas ao meio ambiente e à comunidade.